capa-Passaporte-Fashionista-Daiany-Hank-2022

Vou te contar sobre a minha experiência no curso Passaporte Fashionista em Paris

O curso ocorre durante uma semana e aprendemos as histórias dos estilistas de marcas Yves Saint Laurent, Christian Dior, Roger Vivier.
Daiany Hank

Daiany Hank

Eu conheci o trabalho da Andrea Furco pelo Passaporte Fashionista no Instagram da Carol Bassi, depois eu vi uma outra viagem a Sílvia Braz almoçando um dia com ela. E foi assim, vendo no Instagram dessas pessoas que são influentes no meio da moda, que comecei a acompanhar ela, e também começaram a aparecer para mim alguns patrocinados dos cursos que ela estava fazendo, e me interessei.

Fiz um curso online em outubro de 2021 sobre Estilo e Tendências para o Inverno 2022/23 e gostei muito. Aí resolvi me inscrever no curso presencial em Paris, no mês de abril de 2022. Fui em abril para fazer o curso e também aproveitei para passear um pouco. 😊 

Pra registrar, minha fotinha com a linda Andrea Furco

O curso ocorre durante uma semana e recebemos a programação apenas uns dias antes, porque depende da confirmação das marcas para as visitas. O investimento no curso foi de 2.000 Euros, e esse valor eles parcelam no cartão de crédito.

No primeiro dia, que foi em sala de aula, a Andrea Furco se apresentou, contou um pouco de sua história e nos deu uma apostila com alguns materiais. O conteúdo foi mais focado nos sete estilos universais na moda, e tivemos a oportunidade de conhecer um pouquinho melhor o nosso estilo e também saber identificá-los, através de uma dinâmica que fizemos.

Na aula, ela também explicou sobre a história de alguns dos estilistas que iríamos visitar as lojas no decorrer da semana, como Yves Saint Laurent, Christian Dior, Roger Vivier.

As aulas começavam às 9 horas da manhã e terminavam às 18 horas, com uma pausa para o almoço.

Nosso primeiro almoço foi no L’Avenue Restaurante, que é em frente ao prédio onde estávamos fazendo o curso, na Avenida Montaigne. Depois acabei até voltando lá novamente, porque ele realmente é muito bom.

Ameeeeeiiiii esse risoto com camarões

O nosso segundo dia começou ainda no Le Bon Marché, que foi uma das primeiras lojas de departamento do mundo, uma das mais antigas. Lá dentro encontramos as boutiques de luxo, como a Tiffany, que em sua loja já estava o novo projeto de visual merchandising da marca, que são poucas no mundo que já tem, se eu não me engano, só essa e uma de Nova York.

Conhecemos um pouquinho sobre a história da Tiffany, pegamos na mão algumas peças ícones da marca e eles nos explicaram seus significados, além de falarem sobre a jornada da marca até que tivessem o reconhecimento e prestígio que tem hoje.

Seguimos à tarde para a Maison Balmain, que é a casa de alta costura Balmain Paris, fundada em 1945 pelo estilista e criador da marca, Pierre Balmain. Tivemos um atendimento Vip por lá por um representante que atende às grandes celebridades do mundo. Pudemos pegar nas mãos e conferir de perto peças exclusivas e feitas sob encomenda para algumas celebridades. Devido a esse sigilo das peças, não pudemos filmar, nem fotografar. Mas foi incrível saber mais sobre a história da marca.

No terceiro dia, fizemos três Masterclass, que são consideradas as aulas fora de sala de aula, feitas em ateliês ou lojas.

Começamos na Cartier, depois seguimos para o Roger Vivier, e por último Louboutin, seguindo a mesma linha de raciocínio em que ocorreram as aulas anteriores, que mencionei aqui.

Nas Masterclass eram representantes oficiais das marcas que nos apresentavam mais sobre a história de cada uma, das peças mais exclusivas ou que não estão mais à venda, e mais detalhes de como foi a trajetória da marca até chegar ao seu reconhecimento atual.  

Confesso que a visita ao Roger Vivier foi uma das mais especiais, porque tivemos a oportunidade de entrar na sala dos diretores criativos atuais da marca, inclusive da embaixadora Global da marca Inès de La Fressange. Pudemos entrar na sala do estilista atual e ver materiais ainda em criação e desenhos que o Roger Vivier fez de sapatos para Christian Dior. Uma pena não poder tirar fotos nesse lugar.

Fomos também no museu do Yves Saint Laurent e foi uma experiência bem bacana. O acervo do museu é constituίdo dos mais importantes modelos de coleções de Yves Saint Laurent. Quarenta anos da maison são apresentados através de croquis, amostras de tecido, acessórios, desenhos e objetos diversos com suporte audivisual por meio de vίdeos que auxiliam o visitante na compreensão do universo criativo do lendário costureiro.

E também foi o local onde ele começou os desfiles da marca, a sala onde as modelos desciam das escadas e faziam desfile, ainda está lá do mesmo jeito, a mesma arquitetura da mesma forma que era naquela época.

No quarto dia fizemos visita ao outlet La Vallée Village. O diretor do outlet explicou um pouco sobre a intenção deles em levar o Outlet para Paris. É um outlet recente, tudo começou porque saiu uma lei em Paris que as grifes não poderiam mais queimar seus estoques. Depois do escândalo que houve da Burberry que botou fogo em várias peças que eram de saldo, antes eles não vendiam, botavam fogo em vez de liquidar. Então após o surgimento da lei, eles não podem mais fazer isso e acabou surgindo o outlet.

Veja aqui o vídeo completo do meu passeio no La Vallée Village

Uma escapada maravilhosa, momentos inesquecíveis, compras lindas favoritas… Tudo isso e muito mais no La Vallée Village, onde mais de 110 lojas exibem preços irresistíveis durante todo o ano.

Gostei muito desse dia também, nós ganhamos alguns cupons exclusivos para quem estava fazendo o curso, ganhamos alguns mimos também. Tivemos tempo livre depois para fazer nossas compras e tal. Fomos de van de volta à Paris, uma viagem de 45 minutos.

Na sexta-feira pela manhã fomos na Chanel Makeup, em uma loja no bairro mais cool e descolado de Paris. Essa loja tem um visual assim realmente bem descolado apesar de ser numa construção super antiga que é um patrimônio histórico.

Nessa loja também tem algumas coisas exclusivas que só tem nas lojas Chanel Beauty no mundo, que são poucas, e essa de Paris sempre chega tudo primeiro nela com uns três meses de antecedência do que nas demais lojas do mundo.

Tivemos uma aula de como cuidar da pele, sobre os skins cares da Chanel, assistimos um vídeo de como são feitas as tecnologias que têm dentro dos produtos, e depois como fazer uma maquiagem típica francesa.  Aprendemos que esses produtos cuidam muito mais da pele em si do que colocar uma maquiagem muito pesada.

Ganhamos algumas amostrinhas de maquiagem e skin care pra usar na nossa rotina de skin care e depois uma maquiagem típica francesa bem leve, bem chique como elas gostam de usar.

O passeio mais incrível: La Galerie Dior

O novo museu da Dior em Paris inaugurado em Março de 2022

O VÍDEO COMPLETO NO MEU CANAL

A moda sempre encontra a arte. Mais uma prova é que, a grife fundada por Christian Dior inaugurou um museu no coração da capital francesa: La Galerie Dior, localizada na Rue François Ier, próximo à loja da marca, na Avenue Montaigne. Com mais de 2 mil metros quadrados e 13 espaços conceituais, o local é uma espécie de cápsula do tempo, passeando pelos diferentes momentos da casa.

Após o almoço fomos conhecer a La Galerie Dior. Foi inaugurada recentemente, a galeria é maravilhosa, foi tudo bem pensado, conta uma história desde o início de Christian Dior até o falecimento dele. 

Tem acervos, tem peças de desfiles, até algumas ateliers fazendo o clássico Terno Dior (New Look). Essa é uma das peças ícones do Christian Dior que ele ficou muito famoso por causa dela.

No final do museu tem um café Dior que também é uma experiência muito legal. Os doces são maravilhosos, o copo, até a louçaria toda usada é da Dior.

Ali dentro do museu tem a loja que foi a primeira loja Dior no mundo que tem de tudo, tem até o restaurante que é super famoso (só que a reserva tem que fazer bem antes para poder ir). Dentro da loja também tem um outro cafezinho nesse mesmo estilo do que tem no final do Museu da Galeria. 

A loja é incrível, é linda, vende itens de decoração, louçaria, tem uma parte que é só infantil e outra é só com os livros do Christian Dior que inclusive eu comprei alguns livros lá.

Então foi assim uma experiência maravilhosa, indico todo mundo que for para Paris e que goste um pouquinho de moda irem na galeria Dior.

Meu certificado ☺️

Momentos de descanso no hotel

Minha opinião sobre o curso:

Eu gostei muito da experiência, da forma com que fomos atendidas dentro dessas lojas, as informações que recebemos dos funcionários das marcas, a própria Andrea, uma pessoa que tem muito conhecimento na área da moda. Ela trabalha há mais de 20 anos no meio da moda, ela era Stylist da Rede Globo antes de morar em Paris.

Eu achei o curso sensacional, com muito conhecimento. Coisa que eu não teria acesso só indo mesmo amando moda, estando em Paris, indo dentro dessas lojas ou nos próprios museus eu iria com outro olhar. Estando ali com ela, acompanhando cada passinho que a gente dava, a Andrea foi uma guia turística voltada para moda dentro de Paris. Então foi muito legal, eu até quero voltar para poder fazer outros cursos dela. Recomendo, pois foi uma experiência realmente incrível. 🥰🥰

Migas, comentem aqui o que vocês acharam, se vocês gostaram de acompanhar tudo que falei aqui no post?! 😚😚

 

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

4 comentários em “Vou te contar sobre a minha experiência no curso Passaporte Fashionista em Paris”

  1. Acompanhei todos os detalhes dessa experiência pelo insta e foi maravilhosa 👏👏

  2. Amei Dai!! Acompanhei seus stories todos os dias, e mesmo de longe deu pra conhecer muita coisa legal e diferente. E lendo agora seu relato acho incrível a maneira que se preocupa em entregar seu trabalho com excelência, buscando esse conhecimento sobre moda.

Comentários encerrados.

Veja mais

Deixe sua mensagem

%d blogueiros gostam disto: